O Papa Francisco nos mostrou ao longo de seu pontificado que está interessado na justiça climática e ecológica e preocupado com o futuro de nossa casa comum.

Ele demonstrou isso não apenas em sua encíclica Laudato Si’, mas também convidando repetidamente os católicos e pessoas de boa vontade a observarem sua própria vida e mudarem sua maneira de agir para responder ao grito da terra e ao grito dos pobres.

Por ocasião de seu 9º aniversário de pontificado, convidamos você a recordar estes 10 momentos marcantes em que o Santo Padre nos chamou a tomar medidas urgentes com relação à crise climática:

1. Em 2015, em um discurso na ONU

Em sua visita ao Quênia, o Papa fez um discurso na sede da Organização das Nações Unidas em Nairóbi (ONUN) depois de plantar uma árvore num parque no centro da cidade. Essa viagem ocorreu meses após a publicação da Laudato Si’, razão pela qual Francisco aproveitou para divulgá-la naquele país e no continente africano.

Lá o Pontífice nos chamou a “proteger e administrar com responsabilidade esses pulmões do planeta cheios de biodiversidade, [como bem podemos apreciar neste continente com] a bacia hidrográfica do Congo, um lugar essencial para todo o planeta e para o futuro da humanidade”. 

Você também pode ajudar a proteger a biodiversidade: Assine a petição “Planeta Saudável, Pessoas Saudáveis”

2. Simpósio pela transição energética e cuidado da casa comum

Em 2018, Francisco se reuniu em audiência com os participantes do Encontro de Líderes das principais Empresas do Setor Petrolífero, de gás natural e outras atividades relacionadas à energia.

Em sua mensagem, o Papa foi contundente: “A civilização requer energia, mas o uso da energia não deve destruir a civilização! Convido-vos a ser o núcleo de um grupo de líderes que imagina a transição energética global de maneira a ter em consideração todos os povos da Terra, assim como as gerações vindouras e todas as espécies e ecossistemas.”

Em 2019, a reunião se repetiu e Francisco disse: “Perante uma emergência climática, devemos tomar medidas oportunas para evitar cometer uma grave injustiça contra os pobres e as gerações vindouras”.

3. Francisco deu sua primeira mensagem para o Tempo da Criação

No Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação de 2019, o Papa transmitiu pela primeira vez uma mensagem pontifícia referindo-se ao Tempo da Criação: “somos as criaturas prediletas de Deus, que, na sua bondade, nos chama a amar a vida e a vivê-la em comunhão, conectados com a criação”.

O Santo Padre falou de um “tempo para voltar a habituarmo-nos a rezar imersos na natureza, onde espontaneamente nasce a gratidão a Deus criador”; um “tempo para refletir sobre os nossos estilos de vida, verificando como muitas vezes são levianas e danosas as nossas decisões diárias em termos de comida, consumo”; e um tempo para “empreender ações proféticas”.

ASSISTA: “Ouça a voz da criação”, tema do Tempo da Criação 2022 

4. O Sínodo da Amazônia

Após o Sínodo realizado em 2019, foi publicada a Exortação Apostólica Querida Amazônia, uma proposta para novos caminhos de evangelização e cuidado com o meio ambiente e os pobres.

Nela, Francisco compartilha seus “sonhos para a Amazônia”, cujo destino deve preocupar a todos, pois esta terra também é “nossa”. Ele compartilha “quatro grandes sonhos”: que a Amazônia “lute pelos direitos dos mais pobres”, “preserve a riqueza cultural que a carateriza”, “guarde zelosamente a sedutora beleza natural que a adorna” e, por fim, que as comunidades cristãs sejam “capazes de se devotar e encarnar […] na Amazônia.”

5. Um Papa no TED

Com a pandemia de 2020 veio o TED Countdown, uma iniciativa global virtual para defender e acelerar soluções para a crise climática.

O Papa Francisco participou com um vídeo exortando as pessoas e organizações a forjar um futuro mais vivificante através de “ações concretas e urgentes” e se livrar dos combustíveis fósseis.

“A criação precisa desesperadamente do nosso amor”, declarou, acrescentando depois que “nossa consciência nos diz que não podemos ficar indiferentes ao sofrimento dos necessitados, às crescentes desigualdades econômicas e injustiças sociais”. 

ASSISTA: Participação do Papa no TED

6. “Não temos mais tempo”

No Dia da Terra, 22 de abril de 2021, o Papa enviou uma mensagem contundente a todas as pessoas de boa vontade: “A crise da COVID e a crise climática mostram que não temos mais tempo para esperar. Esse momento é urgente e, como nos ensinou a Covid-19, temos os meios para enfrentar o desafio. Temos os meios. Agora é a hora de agir, estamos no limite”.

Mas foi ainda mais duro afirmando que “Deus perdoa sempre; os seres humanos perdoamos de vez em quando; a natureza não perdoa nunca”.

7. Um espaço para colocar nossas ações em comum

Na Semana Laudato Si’ de 2021, Francisco lançou a Plataforma de Ação Laudato Si’, uma ferramenta de transformação para que a família católica mundial possa alcançar a sustentabilidade total na década 20-30.

“Cultivemos o respeito pelos dons da Terra e pela criação, inauguremos um estilo de vida e uma sociedade finalmente ecossustentáveis. Temos a oportunidade de preparar um amanhã melhor para todos. Das mãos de Deus recebemos um jardim, não podemos deixar um deserto aos nossos filhos”, disse o Papa Francisco.

Elaborado pelo Dicastério para a Promoção do Desenvolvimento Humano Integral do Vaticano, o projeto busca capacitar instituições, comunidades e famílias católicas para implementar a Laudato Si’ em sua vida.

Saiba mais sobre a Plataforma de Ação Laudato Si’

8. Com os movimentos populares

No Dia da Alimentação de 2021, 16 de outubro, o Papa dirigiu uma mensagem aos Movimentos Populares, na qual pediu que “colocassem a economia a serviço dos povos para construir uma paz duradoura baseada na justiça social e no cuidado da Casa comum”. 

Além disso, dirigiu-se às grandes às grandes empresas mineiras, petrolíferas, florestais, imobiliárias e agro-alimentares e lhes pediu “que deixem de destruir florestas, zonas úmidas e montanhas, que deixem de poluir rios e mares, que deixem de intoxicar as pessoas e os alimentos”.

9. As futuras gerações “nunca nos perdoarão”

Antes da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas em Glasgow, em 2021, Francisco organizou o encontro Fé e Ciência. Rumo à COP26, do qual participaram cientistas e líderes religiosos. Lá, foi pedido para que as emissões líquidas de carbono sejam reduzidas o mais rápido possível e que os países pobres sejam ajudados a fazê-lo.

“Herdamos um jardim: não devemos deixar um deserto aos nossos filhos” porque eles “nunca nos perdoarão”, afirmou o Santo Padre, além de pedir a tomada de “medidas rápidas, responsáveis ​​e compartilhadas para salvaguardar, restaurar e curar nossa humanidade ferida e o lar que nos foi confiado”.

“É uma obrigação moral cooperar na cura do planeta e ser guardiães do ambiente natural com a vocação de cuidar dele.”

10. Ao vivo na TV italiana

Pela primeira vez ao vivo na televisão italiana, o Papa Francisco participou do programa “Che Tempo Fa”, do canal Rai 3, e falou, entre outras coisas, do pecado de jogar plástico nos oceanos. “Jogar plástico no mar é crime. Isso mata a biodiversidade, a Terra, tudo”, disse Francisco. “Se as coisas não mudarem, nossos netos terão que viver em um mundo inabitável dentro de 30 anos”, disse ele ao vivo diante de nove milhões de espectadores.

Faça como o Papa Francisco: entre em ação pela criação agora. Assine a petição “Planeta Saudável, Pessoas Saudáveis”.

ATENÇÃO: O nosso vídeo para o Papa sobre os seus nove anos de Pontificado